O mês do jejum islâmico

Aefe Noronha – Série Até o último povo

“Cobrindo a cabeça com seu kufi branco, ajoelhado sobre o tapete em direção à longínqua Meca, ele se movimentava ritualmente, balbuciava as orações, mas seus pensamentos estavam em outro lugar: não tinha passado muitos dias desde que testemunhara dois mujahidin levarem seus corpos vestidos de bombas em direção a uma igreja cristã, perto dali…

O sol se punha lá fora e o estômago do rapaz reclamava. Desde o amanhecer não bebia nem comia nada. Durante todo o mês do Ramadã, o 9° mês do calendário islâmico, junto da comunidade muçulmana no mundo todo, ele praticaria um dos 5 pilares da fé islâmica, o sawn, o jejum ritual. Neste período, celebra-se a data em que Maomé teria recebido os primeiros versos do Alcorão do próprio Alá, em 610 d.C.

Mas o rapaz não estava atento. Não saía de sua cabeça o momento em que um adolescente frustrou o ataque àquela igreja, daqueles dois mujahidin, que estavam tomados de fervor por causa do Ramadã. Aquele adolescente, quando viu que os dois se aproximavam, conteve-os com toda a sua força, mesmo sabendo que se tratavam de homens-bomba. As bombas explodiram, enfim. Foram os dois mujahidin… Foi também o adolescente… Já a igreja foi poupada. Dois deles deram a vida para matá-la. Um deles, para salvá-la…

Naquela noite haveria culto naquela igreja. Ele sabia onde era. Mesmo aos destroços, eles cultuariam o Deus deles, o Deus da Bíblia, ele sabia… De repente, estava mais interessado em testemunhar aquele culto do que o desjejum tradicional do Ramadã, no início da noite.

É mês do Ramadã entre os povos muçulmanos. Ore por eles, que durante todo o mês clamam por Deus. Ore para que eles conheçam o verdadeiro Deus.

Ore também pelos cristão e missionários entre as nações islâmicas mais perseguidas, que durante este período estarão sob forte provação. ”

Fonte: http://moravios.org/ramada-2/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *